Portaria remota ou portaria virtual: descubra o que é e se vale a pena

Guarita, vigias e alarme residencial: para quê serve isso tudo?

Portaria 24h em edifícios residenciais por muito tempo foi sinônimo de luxo e alto padrão – afinal, apenas com um condomínio de valor bastante elevado seria possível garantir esse tipo de segurança para seus moradores. E segurança, nesse caso, seria o equivalente de vigias, guardas, alarme residencial e guaritas – sinônimo de comodidade e proteção.
Entretanto, como vivemos ultimamente no país um contexto de intensa insegurança e violência, nos encontramos agora na necessidade de ter a garantia da segurança em nossa casa. Os dados são assustadores: segundo dados da cidade de São Paulo, entre 2016 e 2017 houve aumento de 172% dos roubos e furtos em condomínios.
Nesse sentido, foi necessário criar formas de baratear os custos de uma portaria nos edifícios. Para solucionar esse problema surgiu, então, a portaria remota, ou portaria virtual.

Gestão de custos e a portaria remota

A portaria remota ou portaria virtual surgiu de uma ideia bastante simples: otimizar o trabalho de porteiros. O funcionamento também não tem mistérios: o condomínio contrata uma empresa responsável pela segurança que, remotamente, colocará agentes para abrir e fechar portões e ficar de olho 24h nas câmeras de segurança.

Controle de acesso, redução de custos e mais: contratar ou não uma portaria virtual?

O maior ponto positivo da portaria virtual é a economia: a redução dos gastos do condomínio em segurança pode ser de mais de 50%, a depender das características e particularidades de cada lugar. Além disso, é também interessante o fato de que o condomínio passa a não depender mais de treinamentos de mão de obra e de burocracias trabalhistas.
Entretanto, há também alguns contrapontos em relação a essa nova forma de manter a segurança nos edifícios. De fato, a comodidade de ter alguém disponível para sempre receber entregas de correio, realizar controle de acesso do condomínio e de salão de festas é fator que faz alguns condomínios repensarem a opção da portaria remota. Além disso, em situações emergenciais é bastante importante a presença de alguém para prover soluções imediatas, como, por exemplo, em caso de vazamentos, primeiros socorros e problemas de funcionamento de portões.

Contratar ou não uma portaria remota para meu condomínio?

Com certeza mudar todo o sistema de funcionamento da segurança do seu edifício é uma decisão que deve ser bem pensada. Nos casos de condomínios que não tem condições de arcar com despesas de portaria física e ainda não possuem nenhum sistema de segurança, a portaria remota é uma boa opção. Por outro lado, para condomínios que já possuem o sistema e contam com um baixo nível de inadimplência, a decisão se torna mais séria: que tal iniciar o processo fazendo pequenas mudanças no seu condomínio e avaliando a reação dos moradores?

 

Referências: Aster Segurança e Facilities, Axis Communications, Town SQ

Share This

Compartilhe!

WhatsApp chat