Funções do síndico morador e as funções do síndico profissional – Entenda as diferenças

O que é melhor para o condomínio? Um sindico morador, que seja proprietário e esteja presente na vida do condomínio ou um síndico profissional, que tenha um relacionamento mais distante com moradores e funcionários e de quem é mais fácil cobrar uma gestão profissional?

Um síndico morador serve bem aos prédios menores, desde que auxiliado por uma boa administradora. O síndico profissional tem sido uma demanda dos condomínios residenciais com muitas unidades e também dos condomínios comerciais.

Um síndico morador, ao ser eleito, já assume de imediato várias obrigações legais inerentes ao cargo, respondendo por elas nas esferas civil, criminal, ambiental, tributaria, fiscal e trabalhista, portanto, um gestor bem preparado para o condomínio é essencial. Muitas vezes, um morador ao assumir o cargo de síndico, levava em consideração, primeiramente, da isenção da taxa condominial, livrando-se desta maneira de mais uma despesa em seu orçamento familiar, porém não se atentando a toda responsabilidade existente.

Além disso, compete ao síndico:

  • Convocar assembleias
  • Representar o condomínio legalmente
  • Informar imediatamente sobre problemas judiciais ou administrativos
  • Cumprir e fazer cumprir a convenção e as determinações da assembleia
  • Zelar pela conservação das áreas comuns e pela prestação de serviços
  • Elaborar o orçamento da receita e da despesa a cada ano
  • Cobrar dos condôminos as contribuições e as eventuais multas
  • Prestar contas à assembleia, anualmente e quando exigidas
  • Realizar o seguro do prédio

Outro motivo comum é que, devido a não ter outra pessoa disposta a assumir as responsabilidades de um condomínio, o morador, na intenção de colaborar com a comunidade condominial, cuidar e zelar pelo seu patrimônio, acaba se colocando em risco e perpetuando-se no cargo e trazendo alguns prejuízos ao condomínio, acarretando em dores de cabeça futuras e desnecessárias a um curto prazo de tempo. Logo, devido a esses problemas, alguns condomínios acabam recorrendo a contratação de um síndico profissional através de uma administradora de condomínios.

Existem diversas administradoras de condomínio em BH e síndico profissional em BH, especializados na legislação de condomínios em BH e com capacitação, porém este serviço pode custar caro. Contratar um administrador capacitado e competente para assumir este cargo pode custar até R$15.000. Então, é necessário pensar antes de tomar qualquer tipo de decisão com relação a esse tipo de serviço terceirizado.

Entenda, então a diferença de cada um dos síndicos.

Síndico Morador Síndico Profissional
Serviço voluntário e sem remuneração obrigatória Serviço profissional, contratado, terceirizado e tem um custo (elevado as vezes)
Relação direta com moradores Relação imparcial com moradores
Falta de tempo para alguns tipos de serviços Atende a demandas de serviços terceirizados (segurança, limpeza, manutenção)
Recomendado para pequenos condomínios Recomendado para grandes condomínios
Sempre presente no condomínio Presente apenas quando solicitado ou por algum tipo de visita agendada
Melhor para resolver problemas corriqueiros do dia-a-dia Não recomendado para a solução de problemas do dia-a-dia.
Nem sempre possui formatação especializada na área. Normalmente tem conhecimento técnico e formação em administração ou com conhecimento em gestão e legislação

 

Enfim, a escolha entre síndico voluntário ou profissional deve ficar a cargo dos moradores do condomínio após uma análise de sua necessidade e condição financeira. De todo modo, uma vez investido no cargo, cabe ao síndico exercer a função de forma apropriada, sob pena de responsabilização.

Referências: Economia UOL, Seu Condomínio, Condac, Condlink

Share This

Compartilhe!

WhatsApp chat